sábado, 2 de maio de 2009

O pródigo e o prodígio


Sei que já está tarde, mas preciso escrever. Mais do que um esforço para manter o blog atualizado, quero deixar aqui uma breve análise sobre um assunto que tem me "importunado" nos últimos dias. Na verdade é um trecho da Bíblia que me toca muito, chamado "parábola do filho pródigo". Você conhece de cor e salteado.

Comparo a função das parábolas à função da luneta. Isso mesmo que você leu: luneta. Um objeto simples, nada rebuscado, mas que lança sua visão para longe. As parábolas são histórias simples que ampliam nossa visão espiritual afim de enxergarmos as grandezas do reino de Deus.

Jesus era o único mestre de sua época que ensinava através de parábolas. E que didática maravilhosa! A que eu mais gosto é a do filho pródigo. Ou você pode dar outro título se quiser: a parábola do Pai amoroso... ou, sugiro o título: "o pródigo e o prodígio". Por quê?

Porque essa parábola aborda o relacionamento entre o pai (Deus) e seus 2 filhos (e vice-versa). Muitas pessoas prestam atenção apenas no primeiro filho, o mais moço, aquele que saiu de casa com a parte da herança que lhe pertencia e viveu dissolutamente, até "cair em si" e voltar para os braços do pai. Esse é o filho pródigo.

E o outro? Ninguém se lembra dele? Ah, esse é o filho prodígio. Nunca saiu de casa. Nunca desobedeceu os pais. Sempre tirou notas boas na escola. Sempre ajudou nos afazeres domésticos.
O seu problema? Nenhum. Absolutamente nenhum. Aparentemente...

Hoje na igreja nos temos os pródigos e os prodígios. Às vezes, ao ver os apelos nos cultos religiosos, tenho a impressão de quem precisa aceitar o convite são aqueles que ficam sentados, os membros da igreja, aqueles "experientes" nas coisas de Deus, e não os "afastados" ou "convidados". Quem precisa MAIS de salvação, ao meu ver, são os prodígios, não os pródigos. E ao invés de buscarem a salvação, no real sentido da palavra e em essência, eles querem festa e reconhecimento, assim como o filho mais velho da parábola.

Os prodígios dificilmente "caem em si" como fez o filho pródigo. E por que fariam isso? Na visão deles, já estão dentro das quatro portas da casa do Pai! Não precisam (na visão deles!!) do abraço de reconciliação e do perdão divinos... Caia na real... eles querem o anel, a veste e o novilho assado. Querem prestígio apenas!

Amigo, desconfie do tempo que você está na casa do Pai. Talvez você esteja como a moeda perdida, que não sabia que estava perdida, dentro de casa, dentro da igreja, mas longe dos olhos do Pai. Talvez você nem saiba mais o que significa arrependimento, confissão, entrega. "Tudo bem", você pode dizer, "eu nunca experimentei o gosto amargo das bolotas dos porcos! Não conheço a realidade do mundão!". Mas saiba de uma coisa: É melhor estar maltrapilho cheirando a porco nos braços do Pai do que perfumado na casa de Deus, mas longe dEle. E depois perguntar: "Senhor, onde está o meu reconhecimento? Onde está meu anel? Nunca te dei trabalho, Senhor!"

Deus tem uma bênção para nós nesse sábado. Quer nos fazer novamente filhos. Eu me emociono ao visualizar em minha mente a cena do Pai esperando de braços abertos o filho perdido. Esse é um dos quadros mais lindos da Bíblia. Ele não se cansa até ver o pródigo voltar ao lar. Mas com o outro braço Ele quer abraçar o filho que está dentro de casa. Quer fazê-lo importante também. Quer salvá-lo. E aí, qual das duas classes de filho você pertence? Filhos pródigos ou filhos prodígios?

6 comentários:

  1. Milton Andrade, bela postagem ...
    Eu penso que nós que estamos dentro da Igreja, temos que nos examinar a todo instante ... Esses dias eu estava assitindo uma pregação do Pr. Fernando Iglesisas, aí ele disse assim "a todo instante nós temos que voltar para os braços do Senhor, mesmo dentro da Igreja" ... As vezes nós estamos dentro da Igreja, mas porém lonje do Senhor. Logo me veio na cabeça aquele hino "Aqui é seu lugar" ... {volte pra Jesus, venha para a luz, nada mais importa, aqui é seu lugar} ... O nosso lugar é nos braços de Jesus, sempre!

    ResponderExcluir
  2. Devemos estar com Jesus todos os dias... se as vezes estamos desanimados precisamos buscar a Deus para nos dar forças e assim estaremos sempre no caminho certo. Mais se um dia desviarmos do caminho... Deus estará com os braços abertos para nos receber.

    ResponderExcluir
  3. que linda mensagem, milton! o interessante é que essa parábola não tem um ponto final nas páginas da bíblia. na última cena estão o pai e o prodígio na porta de casa.. será que ele entrou? ou ficou do lado de fora? talvez esse silêncio cumpra um propósito. a resposta deve ser escrita na minha vida. obrigado pela reflexão. abraço.

    ResponderExcluir
  4. O numero de prodigios,(que no meu ver tambem são prodigos)tem aumentado assustadoramente, e longe do pai, muitos tem ganhado o status, o glamur, o cargo, o prstigio, o mundo, mais tem perdido a alma: Esta na hora de voltar pra casa.

    Dc:Emerson silva

    ResponderExcluir
  5. A consciência espiritual desta postagem é embasadora e os comentários inteligentes. Émuito triste vermos irmõas com o dom de louvar, tocar instrumentos,pregar a palavra ... se envaidecendo e querendo o galardão antecipado.
    Toda Honra e Glória seja dada ao NOSSO REI, O DEUS TODO PODEROSO.
    Rfranck

    ResponderExcluir
  6. Sua reflexão é muito inteligente,adorei ler
    E infelizmente,é o que ocorre hodiernamente,eu não sei qual filho eu mais me pareço,mas gostaria de saber..
    abraços.

    bruna schievano

    ResponderExcluir